PRAD - Plano de recuperação de áreas degradadas

Os casos em que tem sido comum a adoção de Plano de Recuperação de Áreas Degradadas são principalmente os de minerações, sendo elaborados de acordo com as diretrizes fixadas pela NBR 13030, da ABNT, e outras normas pertinentes. Contudo, há também exemplos em depósitos de resíduos industriais e urbanos, ocupação habitacional de encostas, erosões urbanas e rurais, subsidências ou colapsos de solos em áreas urbanas e cursos e corpos d'água assoreados.

As principais atividades que consolidam um plano de recuperação de área degradada podem ser assim resumidas:

Caracterização e avaliação da degradação ambiental;

Definição dos objetivos e análise das alternativas tecnológicas de recuperação;

Definição e implementação das medidas de recuperação:
• Revegetação (estabilização biológica)
• Geotécnica (estabilização física)
• Remediação ou tratamento (estabilização química)

Proposições para monitoramento e manutenção das medidas corretivas implementadas.

A WALM elabora, em todo o território nacional e para as mais diversas atividades produtivas, todos os estudos ambientais aqui elencados, gerenciando-os em todas as suas etapas de tramitação junto aos órgãos ambientais.